domingo, 15 de dezembro de 2013

Mãe Fome

Por: Gabriel Morais
Fome, mãe dos desejos Tu, que execrável sublima Também sentes fome De fato, de algo, e amém: De si
Fome, mãe das vontades Tu, que deserta meu crer Alimentas lacunas de almejos De aflor, de fervor, e desdém: De mim
Fome, mãe das cobiças Tu, que veste inclemência Gritas escassez e insatisfaz De amores, de dores, e além: Alguém?
Fames, filha das discórdias Imponente sob amargas heresias És minha maior fome Fome da fome De ater, de ser, de querer: Tu

Um comentário:

compartilhar