quarta-feira, 2 de maio de 2012

Kafka: Desista!

era de manhã muito cedo, as ruas limpas e desertas, eu a caminho da estação. comparei o relógio da torre com o meu e vi que era muito mais tarde do que pensava. precisava me apressar. o choque dessa descoberta me fez 
hesitar quanto ao caminho a seguir: não conhecia bem a cidade. felizmente vi um policial, corri para ele e, ofegante, perguntei-lhe qual o caminho da estação. ele sorriu e disse:

- está me perguntando qual o caminho?
- sim - respondi -, pois não consigo achá-lo.
- desista! desista! - disse ele e, com um movimento brusco, voltou-se como se quisesse ficar sozinho com o próprio riso. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar