sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sobre Corpo


Por: Nádia Pinheiro
Desenho: Paulo Dante Neto

Se jogar, sem medo de sujar a roupa ou de se machucar... e nesse lançamento, perceber a reação de cada parte sua ao se encontrar com o chão.
Sentir o que acontece com seu dedinho do pé ao mexer outra parte do corpo, ou com seu corpo inteiro quando faz um movimento que até então pensava ser incapaz de fazer.

Tentar algo novo, totalmente fora do normal, do óbvio.

Se relacionar consigo, antes de qualquer outra pessoa. Conhecer no silêncio o seu ritmo, seu tempo, e aí sim partir para o outro, que tem um tempo diferente do seu. Mesmo sabendo o que se deve fazer, cada um tem sua hora, sua vontade, e é aí que o respeito deve aparecer, até que se desenvolva uma sintonia. E você percebe que essa sintonia é tão sintonia, que mesmo de olhos fechados tudo vai acontecendo, e uma dança se formando, assim, sem ser combinada.

Saborear a inigualável sensação do fogo que vai ardendo dentro de si e que quer mesmo é sair, explodir, queimar tudo o que está a sua volta; e você tem a simples e difícil tarefa de segurá-lo, de fazer com que ele continue só ali dentro, NADA DE SAIR! CONTROLA!

Respiração, inspiração, dor, transpiração... essa última principalmente, ela é a resposta a todos os gestos e a toda energia que se consome. Transpirar é ouvir seu corpo dizer que está se preparando, para depois estar quase pronto... quaase. É que na verdade ele nunca estará realmente pronto, há sempre o que aprender, o que absorver, o que buscar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

compartilhar