segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

A BENÇÃO, WARAT!


Por Dhiogo Aguiar

Domingo, de tantos outros domingos bem brasileiros, toco meu violão, batuco um pandeiro, tomo minha cerveja e que assim seja, convido os amigos para uma roda, um batizado de Angola que, como em toda casa de bamba, termina num bom samba.
E, ainda enquanto ouvia as palavras do mestre Cartola, telefonei para Dudu, Dudu de Angola, para chamá-lo para falar da vida, descubro de um amigo a partida, um amigo a quem mal conheci em pessoa.
Permita-me, Professor, chamá-lo assim. O mestre que, assim como Cartola, ia logo falando aos mais desavisados, aqueles que deixavam os sentimentos um pouco de lado: "Preste atenção, o mundo é um moinho. Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos. Vai reduzir as ilusões a pó."
E assim, batendo em conceitos estruturais eu o vi na defesa da dissertação de mestrado de Dudu de Angola, conhecido por muitos como Eduardinho. Vi o mestre ensinando que através de questionamentos é possível atingir sim, o que se quer.
Todavia, lendo isso certamente ele me perguntaria? "O que você quer, meu rapaz?"
Eu?! Nada! Afinal, por que tenho sempre que querer alguma coisa?! Não posso simplesmente escrever por escrever, simplesmente me expressar, comunicar, falar para alguém me ouvir, ainda que não diga nada?!
Todavia, se você escreve por escrever, apenas para se expressar, você já quer alguma coisa...
E, é querendo alguma coisa, despretensiosamente, que me pergunto: como poderia falar de você, Professor?
Essa resposta eu não tenho, e com você, aprendi a sempre duvidar do óbvio, do que está na cara, e das respostas prontas.
Fica sem resposta, então, quem disse que preciso responder?!
Apenas gostaria, ao som de samba, pedir-lhe a benção, e dizer que ainda que tenhas vivido intensamente, "ainda é cedo, amor! Mal começaste a conhecer a vida, já anuncias a hora da partida, sem saber mesmo o rumo que irás tomar!"
A benção, Vinícius de Moraes, sua benção, Cartola, a benção, Luís Alberto Warat!

2 comentários:

  1. "Um bom samba é uma forma de oração...porque o samba nasceu lá na Bahia, e se hoje ele é branco na poesia, ele é negro demais no coração". Não é isso, Dhiogo?! O barato é ser tudo ao mesmo tempo: preto, branco, amarelo, Warat. "A benção, Baden Powell". Que todos os seus deuses te abençoem, Luis.

    ResponderExcluir

compartilhar